sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

A PAZ – IMPOSSÍVEL ALCANÇAR?

Ao longo das eras, os humanos vêm numa busca incessante para alcançar a paz. Um esforço muito grande é feito para que essa busca se realize, os políticos têm tentando manter a paz, desde a pax romana, dos tempos romanos, até a política de “Destruição Mútua Assegurada” durante a Guerra Fria. A ONU foi  criada com o objetivo de estabelecer relações pacíficas entre os países de todo mundo.

No fim, porém, todos os seus esforços têm fracassado. O que se observa é uma crescente falta de amor e bondade, aumento da desunião e a violência aumentando.

Dá-se isso porque a paz duradoura tem de originar-se da ausência de ódio e da ganância; precisa fundar-se na verdade. A paz não pode basear-se em mentiras.

Os conflitos e guerras comprovam justamente isso, o ódio pelas diferenças do próximo, o desejo de ter mais riqueza e territórios têm gerado guerras sangrentas e guerras ideológicas distante de batalhas mas com disputas bastante acirradas.

Assim, já que a paz mundial ou coletiva é tão difícil de ser alcançada, cada um precisa fazer a sua parte. É preciso se conscientizar de que a paz precisa ser conquistada individualmente. Por exemplo não revidar quando é tratado mal, evitar a ganância, não querer sempre mais lucros. É preciso amar mais.
Não é impossível que exista a paz na Terra mas é necessário que a mudança comece em Nós!!


Alunos: Irina Moura e Raissa Oliveira
O ESTADO ISLÂMICO


Algo que tem sido o tema de muitas discussões e reportagens é o Estado Islâmico. O The Wall Street Journal comentou:"o islamismo está em progresso em todo o mundo muçulmano. Influi nos governos do Irã, do Paquistão, da Argélia, da Tunísia, da Líbia e de outras partes."

Esse grupo radical e revolucionário não é um simples governo político com um sistema parlamentar. Trata-se primariamente dum governo religioso. Esse grupo jihadista afirma autoridade religiosa sobre todos os muçulmanos do mundo, por isso querem conquistar os territórios de maioria islâmica. Os Estados Unidos, a Arábia Saudita, o Reino unido, a ONU e outros o denominaram um grupo terrorista.

 O Estado Islâmico teve um significativo crescimento pelo envolvimento na Guerra Civil Síria, guerra essa que gerou terror por toda a parte e que tirou a vida tato de militares quanto de pessoas inocentes como várias crianças e mulheres. O Estado Islâmico obriga as pessoas que moram nos territórios que ele controla a se converterem ao Islamismo. E quando se negam a fazer isso são torturados, mutilados e mortos. O grupo se opõe contra muçulmanos xiitas, assírios e outros.

 O Estado Islâmico mantinha relações com a Al-Qaeda, porém esses laços foram cortados.
 O grupo no seu exercício tiveram várias conquistas. Tomaram as cidades de Azaz, de Jarablus, de al-bab. O califa do estado Islâmico é Abu Bakr al-Baghdadi. O grupo é muito forte por já ter conquistado diversos territórios e por possuir equipamentos de guerra poderosos. 


Alunos: Raíssa Oliveira e Emanuele Barreto.

A degradação ambiental e seus efeitos hoje

As desventuras do Mar de Aral 

Brenda Stefane e Amanda 

Localizado no Uzbequistão país da Ásia Central, o mar de Aral possuía uma área, correspondente aos estados do Rio de Janeiro e Alagoas juntos. No decorrer dos tempos o Mar de Aral tornou-se uma piada, pois seu nome que significava mar das ilhas, faz referencia as mais de 1.500 ilhas encontradas em seu leito, mas em 2009, por conta do intenso processo de desertificação todos haviam desaparecidos. 

Seu processo de desertificação iniciou-se quando o governo soviético começou a desviar água de seus afluentes para as super plantações de algodão. Além das repetidas drenagens, o governo soviético as Republicas da Ásia Central em 1940 foi construído canais de irrigações  de tamanha ineficiência de 75%  da água captada, vazava ou evaporava antes de chegar ao local destinado, o que exigiu ainda deste recurso, de forma que o Mar de Aral chegou a perder 20km³ de água por ano.

A intensa deterioração do Aral e de seus afluentes resultaram na morte da fauna e flora naturais do mar. Se por um lado houve um crescimento econômico no setor agrícola, da industria pesqueira não podemos dizer o mesmo. No período em que o Uzbequistão tornou-se o 3º maior produtor de algodão do mundo, o Aral estava perdendo 350% de água a mais do que 1940, o que praticamente acabou com a outrora prospera industria pesqueira.

Como resultado da intensa poluição o vento tem soprado sal proveniente do solo seco e poluído, causando danos a população que apresenta formas de câncer. Ao todo, em relação ao seu tamanho original o mar foi reduzido 80% do seu volume e 60% de seu tamanho. Para o futuro, há grandes possibilidades de explorarem o subsolo do mar Aral, em busca de desenvolvimento de combustíveis e gasodutos.         

A nova geopolítica mundial

A nova ordem geopolítica mundial se diferencia da velha ordem por vários aspectos. A nova geopolítica mundial surgiu a partir da década de 90. Com o fim da Guerra Fria, o capitalismo ganhou total influência sobre a economia global de modo que na nova ordem o mercado comanda o mundo com o apoio dos Estados Nacionais.

Não há mais regimes totalitários, em que o Estado controlava tudo, agora ele ganhou o papel de regulador. Continuam a haver guerras, mas elas sofreram mudanças tanto em relação aos seus motivos quanto a todo aparelhamento tecnológico que se usa nelas.

A nova geopolítica mundial vem acompanhada da globalização. A nova ordem é considerada por alguns como unipolar e multipolar. Isso acontece, pois, o capitalismo e a globalização se expandiram por todo o globo de forma intensa. Além disso, embora os Estados Unidos sejam a potência mundial, o poder não está só em suas mãos. Ainda há outros que a consideram somente unipolar, pois somente uma unica superpotência assume o controle de todo o mundo.

Há vários exemplos dessa multipolaridade. O G-8, blocos econômicos como a União Européia (UE), a Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec), o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), (NAFTA), (ALCA) entre outros. Muitos desses grupos são responsáveis pelas transações comerciais do planeta. Outros têm importância econômica regional e outros fatores econômicos.

A conclusão que podemos tirar é que há uma situação de causa e efeito. A nova geopolítica mundial anda de mãos dadas com a globalização, o que não acontecia na velha ordem. Também a nova geopolítica mundial considera as relações entre geografia e poder no cenário mundial, em âmbito nacional, regional e municipal.

Alunos: Irina Moura
Fernando Anunciação
                                           O estado de Guerra Fria na Europa


A Guerra fria não foi um combate em que os países vão para um campo de batalha e se enfrentam diretamente. Foi uma corrida de cunho ideológico, armamentista e espacial. Porém, a Guerra acabou e os seus participantes, Estados Unidos e Rússia tornaram extintos os combates entre os mesmos.
Mas o mundo dá voltas e conflitos que ocorreram na Europa este ano mostram que a Guerra fria dá provas de que ainda existe. 

Estamos falando dos conflitos entre a Rússia e a Ucrânia nos quais os Estados Unidos se introduziram.
É preciso entender primeiro quais os motivos desses conflitos. A Ucrânia é de certa forma dividida. A população de uma determinada região é de etnia russa, pertenciam aos povos eslavos. A outra parte é ucraniana e mostram interesse em fazer parte da União Européia. Esta parte da população ucraniana pressionou o presidente Víktor Yanukóvych a fazer isso. 
Porém, ele preferiu manter relações com a Rússia. Isso fez com que alguns se revoltassem. Eles foram às ruas questionar e reivindicar isso. A União Européia, querendo muito que a Ucrânia fizesse parte dela, a invadiu contribuindo para um golpe militar que tirou Víktor Yanukóvych do poder e introduziu forças que pertenciam a ela para governar o país. 
Mas a Criméia não se agradou dessa troca de governante e fez um plebiscito para que viesse a pertencer á Rússia. Os Estados Unidos concluíram que essa anexação da Criméia à Rússia foi forçada e imposta pelo presidente Putin. De modo que impuseram uma série de sanções á Rússia e continuam punindo-a, pois numa reunião da UNASUL que ocorreu há pouco tempo, o presidente Barack Obama fez isso.

Assim podemos claramente notar que os Estados Unidos e a Rússia começaram a se chocar outra vez. 


Alunos: Irina Moura
 Fernando Anunciação